relógio

sábado, 2 de junho de 2012

O fim da aventura

Estávamos um pouco cansados de esperar no aeroporto de Moscow pelo nosso voo, afinal de contas passamos o dia no aeroporto.

Nosso voo chegou, embarcamos e foi aquela maravilha Emirates: telinha com filmes, jogos, webcam externa no avião, informações do mundo todo, etc, padrão Emirates, show de bola.

Eu na janelinha, Célia no banco do meio e um inglês no banco do corredor. Na fila da frente, estava um casal de russos e mais um cara no banco do corredor. O russo estava bêbado, falando alto, dando gargalhadas, atrapalhando todo mundo no avião. Todos olhavam para ele meio torto. O cara não estava nem aí, continuou a falar alto e a dar risadas, pedia whisky a toda hora.

Chegou um momento em que as comissárias já não serviam mais álcool para ele. Começou a juntar comissárias e comissários, pedindo a ele que acalmasse os ânimos. Não adiantava, o cara continuava. Foram chamar o supervisor dos comissários, que, por coincidência, era brasileiro. O comissário falou em tom firme e forte com o russo bêbado, disse que eles conheciam as leis em Dubai e que se ficar bêbado lá, é uma semana de xilindró. Até o rapaz que estava ao lado deles no banco do corredor pediu para se mudar de lugar e a gente assistindo a tudo de camarote dos bancos de trás. O russo falou mais algumas besteiras e parou, deitou e dormiu.

À partir daí o voo foi super tranquilo.

Ao chegarmos em Dubai, havia 4 policiais na saída do avião esperando pelo russo bêbado. O cara já tinha se fodido e não sabia. O comissário brasileiro nos pediu para testemunhar o mal comportamento do russo, dissemos que sim e falamos para ele o que vimos e ele foi traduzindo em árabe para o policial. Coitado do russo, deve estar Dubai até hoje. Pegamos nossas tralhas e fomos para o guichê da Emirates.



Nesta trip, a Emirates nos deu um voucher de visto, traslado e uma noite no hotel, já que o nosso voo seria somente às 7;00 da manhã do dia seguinte. Acertamos tudo e já havia um ônibus nos esperando. Entramos no ônibus e fomos nós para o hotel Capthorne, da própria Emirates. No hotel, fizemos o checkin e, o que não sabíamos, é que tínhamos direito a jantar e café da manhã na faixa. Recebemos 4 tickets para isso.



Fomos para o quarto e precisávamos de um banho, há dois dias não tínhamos isso, o último tinha sido no hostel em St. Petersburgo. Tomamos o nosso banho e descemos para o restaurante jantar, era 00:30. O jantar era servido até as 00:30, chegamos em cima da hora e conseguimos nos servir. Comida show de bola. Voltamos para o quarto e fomos dormir, o hotel nos acordaria às 4:30h da manhã.

Nem bem deitamos a cabeça no travesseiro e já tivemos que acordar, mas foi bom, pois pudemos esticar o esqueleto por algumas horinhas. O ônibus já nos esperava na saída do hotel. Fomos para o aeroporto de Dubai e, de novo, show de bola da Emirates, avião enorme, boing 777 com tudo que tem direito.





Célia quis sentar na janelinha, apesar de a minha passagem ser a da janelinha. Tudo bem, eu concordei e ela ficou na janelinha. Eu sentei no banco do meio, eram 3 bancos. As pessoas entrando no avião e nada do 3º banco ser ocupado. As portas se fecharam e foi comunicado pelo comandante que a decolagem estava autorizada. Eu fiquei com 2 bancos para mim, kkkkk, Célia ficou puta da vida, disse que eu tenho muita sorte. Resumindo, 3 bancos para nós 2, 3 telinhas, rsrs. A viagem foi melhor do que muito boa, tínhamos espaço sobrando, deu para dormir no avião, comer usando a 3ª mesinha para ter mais espaço, etc, show de bola mesmo. Apesar de tudo, foram 15 horas até o Rio de Janeiro.






Chegamos no Rio às 15:00, mas o nosso corpo ainda estava no horário de Moscow - lá, já eram 22 horas. Esperamos até as 21:00h, horário de Brasil, para embarcar em mais um voo para Brasília. Cansa ficar esperando no aeroporto.

Às 21:00h horário de Brasília, 4:00h da manhã de Moscow, embarcamos em um aviãozinho da Gol, que diferença! 1:40h até Brasília, cansou mais do que as 15:00h de voo de Moscow até o Rio.

A Gol nos surpreendeu, achamos que íamos ter que pagar excesso de bagagem, mas não foi preciso, a atendente da Gol nos disse que, como estávamos vindo de voo internacional e a Emirates é parceira da Gol, não precisaríamos pagar excesso de bagagem. Outra surpresa foi um pacotinho de salgadinho e um bebível servido no voo. Ultimamente a Gol não estava dando nada, neste voo ela deu.

Chegamos em Brasília 22:30h, pegamos um táxi no aeroporto e fomos para casa, os dois quase dormindo em pé. Chegamos finalmente em nossa tão desejada casinha, tudo certo em casa e com os bichos que nos receberam com extrema alegria.

É isso aí, esta aventura acabou, já estamos pensando onde será a próxima.

Abraços a todos e muito obrigado aos que comentaram os posts e aos que nos acompanharam.

Um comentário:

Resumo de postagens

Ocorreu um erro neste gadget